VISÕES DA CADEIA DE SUPRIMENTOS

Atualizado: Mar 2


INTRODUÇÃO:

Em uma empresa, a LOGÍSTICA e a GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS (ou SCM – SUPPLY CHAIN MANAGEMENT) fazem a integração de todas as atividades que estão ligadas e dependentes na organização dos trabalhos (no âmbito interno e externo).


Ambas garantem a COORDENAÇÃO e INTEGRAÇÃO entre fornecedores, CLIENTES e prestadores de serviço para GERAR ENVOLVIMENTO. Para o melhor atendimento aos CLIENTES, a importância destes processos vem crescendo nas empresas que se preocupam com a excelência em suas operações com o acesso, compartilhamento e controle dos mais variados DADOS e INFORMAÇÕES entre todos os participantes. Assim, é possível ter rapidez na tomada de decisões, menores custos de operação e maiores lucros.


A CADEIA DE SUPRIMENTOS começou a se desenvolver na década de 80, com a responsabilidade sobre métodos e sistemas operacionais como compras, armazenagem, depósitos, controles, inventários e armazenagem de produtos acabados. E, dependendo da empresa, até a avaliação do grau de satisfação dos clientes.



Por sua vez, a LOGÍSTICA, considerada uma das etapas da CADEIA, tem responsabilidade sobre a movimentação do produto, desde a armazenagem até a entrega ao CLIENTE, conforme os prazos acordados.


AS VISÕES DA CADEIA DE SUPRIMENTOS:

Entende-se a GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS como a integração da empresa com todos os estágios da CADEIA. Todas as informações são compartilhadas entre os componentes para aumentar produtividade, competitividade no mercado e a criação de relacionamentos mais próximos com os CLIENTES.


Pela VISÃO CÍCLICA e pela VISÃO PUSH/PULL, a empresa poderá optar pela forma de desenvolver sua CADEIA: voltada para a RESPONSIVIDADE ou para a EFICIÊNCIA. A CADEIA DE SUPRIMENTOS abrange CICLOS envolvidos direta ou indiretamente no atendimento aos clientes. Há duas formas de se visualizar os processos:

1 – VISÃO CÍCLICA:

Os estágios (processos) são divididos em CICLOS e cada um deles é realizado nas INTERFACES entre dois estágios sucessivos. A VISÃO CÍCLICA define com clareza cada um dos processos envolvidos e seus responsáveis. Mostra os papéis, as atribuições e o resultado esperado em cada processo.CICLOS :

Ciclo dos Pedidos do CLIENTE.

Ciclo de Reabastecimento (ou de Reposição).

Ciclo de Fabricação.

Ciclo de Aquisição (ou de Suprimentos).


A – O Ciclo dos Pedidos do CLIENTE X CONSUMIDOR:

CLIENTE Varejista (Ponto de Venda PDV) X CONSUMIDOR FINAL:


O Varejo tem por objetivo principal satisfazer seu cliente, o Consumidor Final.

– Consumidor Final adquire os produtos no Varejo.

Emissão do pedido para o Consumidor Final especificando quantidade, dimensões, cores e data de entrega.

Atendimento ao pedido do Consumidor Final.

O Consumidor Final recebe e paga pelos produtos.


B – O Ciclo de Reabastecimento (ou de Reposição):

CLIENTE Varejista X FORNECEDOR


O CLIENTE Varejista necessita repor estoques e atender ao Consumidor Final.

– Emissão do pedido pelo CLIENTE Varejista.

– O FORNECEDOR recebe o pedido do CLIENTE Varejista.

– O FORNECEDOR verifica a disponibilidade de estoque.

– O FORNECEDOR atende e entrega o pedido do CLIENTE Varejista.


C – O Ciclo de Fabricação:

Pedido do CLIENTE Varejista X PRODUÇÃO:


– A fábrica programa a produção para atender ao pedido do CLIENTE Varejista.

– Verifica o estoque de produtos acabados.

– Verifica o estoque de Matérias Primas.

– Programação e Controle da Produção (PCP).

– Produção.

– Expedição e Transporte.

– O CLIENTE Varejista recebe e paga pelos produtos.


D – Ciclo de Aquisição (ou de Suprimentos):

FORNECEDOR repõe os estoques de matéria prima:


A GESTÃO DE SUPRIMENTOS garante a compra da matéria prima para alcançar maior eficiência, com qualidade e sem atrasos, na relação FABRICANTE X FORNECEDORES. Desta forma será possível fazer a reposição das matérias primas que foram utilizadas para atender ao CLIENTE Varejista.

2 – VISÃO PUSH/PULL (EMPURRAR/PUXAR):

É a segunda visão da CADEIA DE SUPRIMENTOS que age ao EMPURRAR ou PUXAR a produção conforme o comportamento apresentado pela demanda. Portanto, é fundamental visualizar a CADEIA como um todo e tomar as decisões estratégicas corretas: quando a empresa deve PUXAR ou EMPURRAR a CADEIA.



VISÃO PUSH (EMPURRAR):

Antecipa os pedidos dos clientes.

A demanda é pouco conhecida ou não é uma demanda real.

Está baseada em especulações.








VISÃO PULL (PUXAR):

O trabalho tem início como resposta ao pedido do cliente.






CADEIA DE SUPRIMENTOS RESPONSIVA:

A RESPONSIVIDADE é a capacidade da CADEIA atender ao mercado com velocidade e capacidade de RESPOSTA rápida (em espaços de tempo mais curtos).


Portanto, uma CADEIA DE SUPRIMENTOS RESPONSIVA tem a necessidade de RESPONDER imediatamente aos níveis de demanda, cada vez maiores, e que exigem velocidade na entrega. Procura ter mais qualidade, melhor preço e trabalhar com pontualidade (do fornecedor para a empresa e da empresa para o CLIENTE).


Muitas empresas adotam a CADEIA DE SUPRIMENTOS RESPONSIVA como forma de ter um DIFERENCIAL para fidelizar clientes. Adaptam sua estrutura organizacional e os seus processos com base na agilidade. Há algumas razões bem claras para que isto aconteça:

Os ciclos de vida dos produtos estão mais curtos.

As facilidades, inovações e a rapidez da tecnologia.

As pressões da concorrência.

Os consumidores estão mais exigentes.

Há uma grande variedade de produtos.

Necessidade de prazos de entrega curtos.

Necessidade de demonstrar um nível de serviço melhor.










CADEIA DE SUPRIMENTOS EFICIENTE:

Tem como foco um processo cada vez mais eficaz para a obtenção de materiais, fabricação e entrega eliminando as fases desnecessárias ou aperfeiçoando métodos de ação. A rapidez é importante, mas não é o aspecto fundamental.


COMPARANDO CADEIA EFICIENTE X RESPONSIVA:

FATORES-CHAVE DE DESEMPENHO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS:

Estoque, Transporte, Instalações e Informações.


APRIMORANDO A CADEIA DE SUPRIMENTOS:

– Coletar dados e informações continuamente.

– Pesquisar os melhores fornecedores de matéria-prima.

– Buscar técnicas atualizadas de produção.

– Prever o equilíbrio entre a oferta e demanda.

– Armazenar corretamente.

– Ter sintonia e trocar informações com os clientes.

– Reduzir estoques.

– Ter Softwares adequados.

– Praticar a Logística Enxuta (LEAN LOGISTICS).


Sugestão de Leitura:

CHRISTOPHER, MARTIN. Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos. Editora Cengage Learning, Edição 1ª, São Paulo, 2010.


BOWERSOX, DONALD J.; DAVID, J. CLOSS; COOPER, M. BIXBY, Gestão Logística da Cadeia de Suprimentos.

Editora AMGH, Edição 1ª, Porto Alegre, 2013.


NOVAES, ANTÔNIO GALVÃO. Logística e Gerenciamento da Cadeia de Distribuição. Editora Elsevier, Edição 3ª, São Paulo, 2007.


CARVALHO, JOSÉ CRESPO DE. Logística e Gestão da Cadeia de Abastecimento. Edições Sílabo, Lisboa, 2010.


Gestão Da Cadeia De Suprimentos - Série Harvard Business Review Compacta. Editora Campus Elsevier, São Paulo, 2009.


BALLOU, RONALD H. Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. Editora Bookman, Edição 1ª, Porto Alegre, 2017.

25 visualizações
  • Google+ Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • LinkedIn Social Icon
  • Facebook Social Icon
ENTRE EM CONTATO
  • Grey Google+ Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey LinkedIn Icon
  • Grey Facebook Icon