LOGÍSTICA – EMBALAGENS

Atualizado: Mar 13


INTRODUÇÃO:

Desde o início da CIVILIZAÇÃO, as primeiras embalagens apareceram para o transporte e a guarda dos alimentos nas épocas de colheitas insuficientes e escassez de alimentos. O homem primitivo criou recipientes feitos de palha, de madeira oca, cerâmica e pele de animais para líquidos, frutas, pescado, caça ou outros alimentos disponíveis na natureza.


Com o tempo os homens passaram a utilizar outros tipos de materiais mais adequados como o vidro, papel, metais e plásticos para melhorar a conservação, proteção e o transporte de alimentos contra agentes externos, impedindo alterações e contaminações.


Em um mercado competitivo, a EMBALAGEM se tornou estratégica, principalmente, na eficiência do processo de envase, distribuição e venda de produtos de consumo e produtos industriais.

Em relação aos produtos da indústria alimentícia, farmacêutica e de produtos de higiene, a prioridade tem sido a maior segurança e proteção.


Os consumidores estão mais exigentes e preocupados com a saúde e a qualidade de vida. Em relação aos produtos industriais, os clientes estão mais focados em EMBALAGENS que preservem a qualidade e as características físico-químicas originais.


As EMBALAGENS são consideradas recipientes com a função de armazenar e proteger os produtos temporariamente, individualmente ou agrupando várias unidades, estendendo o prazo de vida (a validade) de um produto com segurança.


CINCO ASPECTOS BÁSICOS:

De acordo com especialistas, uma EMBALAGEM é o resultado da soma de cinco aspectos básicos que envolvem a satisfação do consumidor, processos, tecnologia, materiais e equipamentos:


1 – MARKETING:

Como ESTRATÉGIA de MARKETING, a EMBALAGEM auxilia a impulsionar as vendas, sendo um instrumento para expor produtos nos pontos de venda, atraindo a atenção e o desejo de compra dos consumidores, reforçando a marca. Ao mesmo tempo, traz informações e recomendações importantes sobre o produto:

● Prazo de validade.

● Informação nutricional, composição ou ingredientes.

● Identificação do fabricante e distribuidores.

● Atendimento ao consumidor (SAC, Site do fabricante, FACE BOOK, e-mail etc.).

● Instruções de uso.

● Advertências sobre manuseio e acondicionamento (local apropriado, temperatura, umidade, luz, descarte e respeito ao meio ambiente etc.).

● Agência reguladora.

● Certificações ISO 9000 ou 14000.


2 – DESIGN:

Cuida do desenvolvimento e a criação da EMBALAGEM levando em conta a forma, a aparência, ergonomia, praticidade, manuseio e estética. A EMBALAGEM se transforma numa identidade do produto, da marca e da empresa.


3 – PRODUÇÃO:

A engenharia de PRODUÇÃO se preocupa com os processos de envase considerando: equipamentos, adaptações, tempo de trabalho, manuseio, qualidade de mão de obra, tempo etc.


4 – LOGÍSTICA: a preocupação com a EMBALAGEM é operacional, prevendo ações que facilitem a identificação, movimentação, estocagem (espaço físico), manuseio, transporte (carregamento e descarregamento) e distribuição do produto. O objetivo são os cuidados com o acondicionamento dos produtos evitando danos, avarias e perdas dentro da CADEIA DE SUPRIMENTOS e problemas em relação aos parceiros. A LOGÍSTICA deve ser adaptada e flexível para eventuais mudanças de padrão, capacidade, materiais ou tipos de embalagens.


5 – MEIO AMBIENTE:

A LOGÍSTICA e a GESTÃO AMBIENTAL devem trabalhar em conjunto em relação ao descarte responsável ou o reaproveitamento de EMBALAGENS cooperando para a preservação do meio ambiente e economia de recursos. No presente, algumas EMBALAGENS, estão sendo desenvolvidas com a capacidade de ter BIODEGRADABILIDADE, ou seja, capaz de ser degradado pela ação de elementos vivos do meio ambiente.


FUNÇÕES DA EMBALAGEM:

– Função Técnica: ser resistente a quedas ou choques e preservar o produto.


– Função Logística: facilitar o manuseio, transporte e armazenamento.


– Função de Comunicação: chamar a atenção do consumidor no PDV (ponto de venda), incentivo visual para o consumo, estímulo para vendas e ter DESING decorativo. Portanto, uma ferramenta importante dentro da Estratégia de Marketing.


ASPECTOS NO DESENVOLVIMENTO DE EMBALAGENS:

Aspectos técnicos, produção e funcionalidade.

Aspectos regulatórios, legislação e certificações.

Aspectos estéticos.

Aspectos ambientais.

Aspectos mercadológicos e econômicos.


NÍVEIS DA EMBALAGEM:

– EMBALAGENS PRIMÁRIAS: são as que envolvem os produtos e que os clientes manuseiam para ler informações. Podem despertar o desejo de compra.


– EMBALAGENS SECUNDÁRIAS: são as que fazem a proteção das EMBALAGENS PRIMÁRIAS agrupando poucos produtos. São úteis para o transporte e manipulação.


– EMBALAGENS TERCIÁRIAS: são as caixas de papelão, caixas ou engradados de madeira e caixas de plástico. São muito utilizadas na movimentação manual no transporte, pois agrupa um número maior de produtos.


– EMBALAGENS QUATERNÁRIAS: são os PÁLETES com grande capacidade para agrupar uma quantidade ainda maior de produtos em seu interior facilitando a movimentação.


– EMBALAGENS QUINTENÁRIAS: utiliza CONTAINERS em transporte ferroviário, rodoviário, marítimo, fluvial, lacustre e aéreo (nacional ou internacional). Em muitos casos os CONTAINERS são considerados como uma extensão dos estoques.


ASPECTOS ATUALIZADOS SOBRE EMBALAGENS:

– Embalagens Ativas: contém agentes aditivos que interagem com o alimento para estender sua vida útil e manter suas propriedades. Preservam a qualidade e prolongam o prazo de validade do produto com ação antioxidante, antimicrobiana e aromática utilizando substâncias que inibem ou retardam os processos orgânicos (amadurecimento, deterioração e contaminação).


– Embalagens Inteligentes: contém um sistema para monitorar, em tempo real, todas as condições do alimento e fornecer informações a respeito de sua qualidade durante a fase de transporte e armazenagem: indicadores de temperatura, frescor, microrganismos patogênicos, oxigênio, sensores e BIOSSENSORES.

TIPOS DE EMBALAGENS:

– Embalagens de madeira:

Engradados, caixas, caixotes para geladeiras, fogões, TV e outros tipos de eletroeletrônicos etc. Este tipo de embalagem está sendo substituído por ISOPOR e outros materiais.



– Embalagem de papel/papelão:

A sua utilização é para uma infinidade de produtos, principalmente em Produtos de Consumo, medicamentos etc.



– Tambores metálicos/latas:

Produtos líquidos, sólidos e gasosos, fluidos, para óleo, tintas, combustíveis etc.







– Embalagens plásticas:

Para medicamentos e produtos de consumo, adesivos, creme dental, produtos de beleza, produtos de limpeza, garrafas etc.







– Embalagens de vidro:

Para medicamentos e produtos de consumo, garrafas para cervejas, vinhos, produtos de limpeza etc.




– PALETE:

Ou PÁLETE, é um estrado de madeira, metal ou plástico, utilizado para a guarda e movimentação de cargas. Apalavra tem origem no francês PALLETE e do inglês PALLET. A função é agilizar o transporte de cargas com PALETEIRAS ou empilhadeiras.


Vantagens:

Redução do custo homem/hora.

Menor custo de manutenção e melhor controle do inventário.

Estocagem e movimentação de cargas com maior rapidez.

Racionalização do espaço de armazenagem.

Melhor aproveitamento da área de estocagem vertical.

Diminuição das operações de movimentação.

Redução de acidentes.

Diminuição de danos aos produtos.

Melhor aproveitamento dos equipamentos de movimentação.

Padronização do local de estocagem.


Em muitas empresas os PÁLETES de madeira estão sendo substituídos por PÁLETES de plástico, que são mais leves, baratos, duráveis e podem ser reciclados.


Desvantagens:

Perda de espaços nos depósitos.

Investimentos constantes na aquisição de PÁLETES e equipamentos para a movimentação das unidades de carga.

O peso e o volume podem aumentar o valor do frete.


– CONTAINER (ou CONTEINERES):

Assemelha-se a uma caixa com grandes dimensões, construída em aço, alumínio ou fibra de grande resistência para ser utilizada diversas vezes. É um equipamento logístico indispensável para o transporte. Os CONTAINERS (ou CONTEINERES) se tornaram o modo mais seguro, disponível atualmente, para o transporte de mercadorias.


O uso do CONTAINER possibilita embarcar os produtos com segurança, rapidez e inviolabilidade, evitando prejuízos ou acidentes comuns que possam acontecer na movimentação direta.


Os CONTAINERS devem estar de acordo com condições técnicas, condições de segurança e nas dimensões que seguem o padrão internacional (itens regulamentados e previstos por lei nacional e por convenções internacionais).


Cada CONTAINER é considerado uma unidade de carga independente, que tem a grande vantagem de reduzir custos logísticos. Um dos aspectos mais vantajosos é a possibilidade da rápida transferência para os vários modais como: marítimo, ferroviário, terrestre e aéreo. As medidas se referem às dimensões externas e as unidades de medidas utilizadas na padronização são:

Pés (`) 1 pé = 30,48 cm;

Polegadas (``) 1 polegada = 2,54 cm.


Todo tipo de CONTAINER é padronizado externamente, mas, as dimensões internas são variáveis devido ao tipo de carga que é transportada. Todos eles são identificados com as marcas do proprietário e do local de registro, números, tipos, tamanhos etc.


Sugestão de Leitura:

CAVALCANTI, PEDRO; CHAGAS, CARMO. História da Embalagem no Brasil. Editora Grifo. Edição 1ª. São Paulo, 2006.


CARVALHO, MARIA APARECIDA. Engenharia de Embalagens. Editora NOVATEC . Edição 1ª. São Paulo, 2008.


POUZADA, ANTONIO SERGIO. Embalagens Para a Indústria Alimentar. Editora Instituto Piaget. Edição 1ª. Lisboa, 2003.


GURGEL, FLORIANO DO AMARAL. Administração Da Embalagem. Editora Cengage. Edição 1ª. São Paulo, 2007.



6 visualizações
  • Google+ Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • LinkedIn Social Icon
  • Facebook Social Icon
ENTRE EM CONTATO
  • Grey Google+ Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey LinkedIn Icon
  • Grey Facebook Icon