Estados Unidos: Formação e Independência.

Atualizado: 26 de Ago de 2018


INTRODUÇÃO:

A consolidação dos EUA como nação e potência mundial pode ser explicada pelas características da sua formação. Diferentemente de outras áreas, a colonização britânica da América do Norte foi uma colonização de povoamento. Em outras regiões do mundo a maior parte do processo teve por objetivo apenas a exploração pura e simples dos recursos locais disponíveis.


ANTECEDENTES:


Tratado de Tordesilhas: a divisão do mundo entre Portugal e Espanha acordada em 1494 desagradou aos ingleses, franceses e holandeses que também se acharam no direito de ampliar seu comércio e formar colônias. Mas, no caso da Inglaterra, a princípio, as tentativas não tiveram resultado e as suas colônias tiveram uma curta duração.


JAMESTOWN: os britânicos fundaram o primeiro assentamento permanente na costa Leste da América do Norte em 1607 com a exploração do tabaco para a exportação chegando a alcançar um êxito relativo. No começo do Século XVIII, JAMESTOWN entrou em decadência e por volta de 1750 foi abandonada.


AS TREZE COLÔNIAS INGLESAS:

Durante os Séculos XVI e XVII a Europa passou por um período de guerras religiosas.

Na Grã-Bretanha os conflitos tiveram grandes desdobramentos onde os protestantes puritanos foram duramente perseguidos pela monarquia absolutista britânica.


Por discordar do absolutismo e em busca de liberdade religiosa, em 1620 grupos de presbiterianos puritanos resolveram se estabelecer na América, fundaram PLYMOUTH e criaram as 13 colônias que dariam origem aos Estados Unidos.


A Espanha, que de acordo com o Tratado de Tordesilhas era a legítima proprietária destes territórios, estava em crise apresentando fortes sinais de decadência. Para os espanhóis a prioridade estava no México e no Peru e não criou obstáculos aos protestantes.

O crescimento das Treze Colônias Inglesas foi lento e por muito tempo os territórios ficaram abandonados. Para os ingleses a colonização na América não tinha importância porque os problemas na Europa eram mais urgentes.


Outro aspecto foi o fato de que na região não havia metais preciosos e o clima temperado, semelhante ao da Inglaterra, não era propício para a monocultura. Portanto, não atraiu investidores interessados em grandes latifúndios monocultores, metais preciosos e matérias-primas abundantes. Assim, os colonos tiveram que resolver seus problemas e lutar por sua própria conta. Por outro lado, isso lhes deu maior oportunidades sem seguir regras impostas pela metrópole. Desde o início, as colônias inglesas na América tiveram autonomia política e administrativa que foi um fator favorável ao seu processo de Independência.

CARACTERÍSTICAS DAS 13 COLÔNIAS:

As colônias estabelecidas entre o litoral e os Montes Apalaches era divididas em:


Colônias do Norte: New Hampshire, Massachusetts, Maine, Rhode Island e Connecticut. Colônia de Povoamento: a maioria da população era puritana (protestantes), a mão de obra era livre e assalariada, havia liberdade de comércio, atividades manufatureiras e agricultura. Mas, não despertavam nenhum interesse da Metrópole. Qualquer produto cultivado e produzido ali também era produzido na Inglaterra.

Colônias do Sul: Maryland, Virgínia, Kentucky, Carolina do Norte, Carolina do Sul e Geórgia. Colônia de Exploração: não havia um controle rígido por parte da Inglaterra, a mão de obra era escrava, a produção voltada para exportação e a relação comercial com os ingleses era mais forte .

Colônias Centrais: Nova Iorque, Vermont, Nova Jérsei, Pensilvânia e Delaware. Colônia de Povoamento: tinham características variadas e tinham influências tanto das colônias do Norte e das do Sul.


As diferentes características serão fundamentais para compreender as causas da Guerra Civil Americana.

O PERFIL DOS COLONIZADORES:

Para entender os Estados Unidos é necessário fazer uma análise da forma como se deu o processo de colonização e o perfil dos colonos que ali se estabeleceram a partir de 1620.


A sociedade que foi sendo formada na América por presbiterianos puritanos calvinistas era extremamente religiosa e rígida com base na ideia de que trabalho dignifica o homem. Na sua visão eles também haviam alcançado a terra prometida por Deus com uma missão a cumprir: ocupar a região levando uma civilização e uma cultura superior (anglo-saxã) às populações inferiores (índios, negros e latinos).


Em 1680 para escapar de perseguições religiosas os alemães chegaram à Pensilvânia. No Século XVIII imigrantes começaram a vir de outros países principalmente da Inglaterra, Escócia e Irlanda num número cada vez maior. Rapidamente se adaptaram à cultura local e o seu número aumentou ainda mais após a independência proclamada em 1776.


O ANALFABETISMO:

Seguindo os preceitos protestantes, o homem tem o Livre Arbítrio para ler e interpretar a Bíblia, e, portanto, os colonos deveriam ser alfabetizados. Sendo assim, as taxas de analfabetismo eram bem menores do que as da Europa.


A GUERRA DOS SETE ANOS – 1756 a 1763:

Este conflito entre a França e a Inglaterra foi motivado pela forte disputa pelo controle comercial e marítimo e pela posse de territórios na África, Ásia, América do Norte e Caribe. E a guerra não ficou restrita ao continente europeu.


Com a vitória, a Inglaterra tomou da França todo o Canadá e áreas localizadas a Oeste das Treze Colônias entre os Montes Apalaches e o rio Mississippi. Na campanha militar os ingleses tiveram apoio e participação dos colonos americanos.


Mesmo sendo vencedora, a Inglaterra ficou numa situação econômico-financeira muito difícil, o que fez aumentar a importância econômica das colônias. As boas relações entre os ingleses e as Treze Colônias se deterioraram com o tempo devido a alguns fatores muito significativos que se acumularam e motivaram a luta pela independência:

● A Inglaterra impôs uma política monopolista.

● Para cobrir as despesas da guerra houve o aumento os impostos gerando revolta nas colônias.

● O comércio das colônias passa a ser exclusivo com a Inglaterra e favorecia produtos ingleses.

● Os ingleses proíbem a posse das terras conquistadas aos franceses em 1763. Os americanos teriam só direito sobre terras próximas ao litoral e a colonização não poderia ser estendida para além dos Montes Apalaches.

● Houve forte repressão ao contrabando.

● Foram criadas novas regulamentações sobre o comércio do açúcar.

● Tem início da expansão industrial na Inglaterra.

● Os produtos trazidos para as Colônias eram muito caros porque os navios retornavam vazios à Inglaterra.

● Os americanos passaram a desenvolver sua própria indústria.

A INDEPENDÊNCIA:


O Segundo Congresso da Filadélfia realizado em 1775 teve um caráter Separatista, pois os ingleses rejeitaram as solicitações dos colonos americanos. Como não houve acordo, em 4 de julho THOMAS JEFFERSON redigiu a Declaração de Independência dos Estados Unidos da América.


A Guerra de Independência (1776 a 1781) foi vencida pelos americanos comandados por GEORGE WASHINGTON com apoio dos franceses e espanhóis.






Pelo Tratado de Paris (1783), a Inglaterra reconhecia oficialmente o fim da guerra, a independência das colônias norte-americanas e entregou todos os territórios compreendidos entre os Montes Apalaches, Grandes Lagos indo até o rio Ohio e Rio Mississipi. A França também contribuiu com 12 milhões de libras em empréstimos para reconstruir o país. Em 1787, os Estados Unidos da América proclamaram a sua Constituição.


O Século XIX iria assistir o surgimento de uma grande nação.


11 visualizações
  • Google+ Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • LinkedIn Social Icon
  • Facebook Social Icon
ENTRE EM CONTATO
  • Grey Google+ Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey LinkedIn Icon
  • Grey Facebook Icon