AS DIVISÕES DA COMUNICAÇÃO INTERNA


INTRODUÇÃO:

Durante muito tempo a COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL teve por finalidade uma orientação dirigida apenas para o mercado, um foco com preocupação sobre assuntos de interesse comercial para elevar o volume de vendas. No presente a sua atuação é bem maior por influenciar uma organização em vários aspectos (podendo, inclusive, influenciar o desempenho de seus colaboradores).


A COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL se refere a todas as todas as formas de comunicação que se desenvolveram e que servem de instrumento para que uma organização tenha condições de se relacionar e interagir com seus públicos.


A maneira de utilizar a COMUNICAÇÃO é está em concordância as com duas formas distintas como a mentalidade, CULTURA ORGANIZACIONAL e filosofia de trabalho em vigor enxergam e conduzem a empresa.

Na primeira, a empresa tradicional, moldada numa disciplina mecanicista que impõe para a COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL o papel de engrenagem, um processo rígido, mecânico e burocrático. Na segunda forma de utilização, numa empresa moderna, a COMUNICAÇÃO é um processo orgânico e com dinamismo.


A COMPLEXIDADE:

As abordagens e perspectivas que se desenvolveram nas últimas duas décadas procuraram demonstrar a importância e a complexidade da COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL. Os autores têm em comum a atenção em estabelecer e analisar os seus vários desdobramentos.


A partir dos anos 2000 houve uma enorme mudança neste tema pelo fato de que as organizações notaram a importância do fator humano para o sucesso dos negócios. E um dos componentes para chegar a um desempenho melhor foi o desenvolvimento de uma COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL planejada e integrada.

Com o desenvolvimento da COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL aparecem novas divisões para facilitar o estudo e o aprimoramento do trabalho.

A COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL foi sendo fracionada em COMUNICAÇÃO INTERNA, COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL e COMUNICAÇÃO MERCADOLÓGICA.


A COMUNICAÇÃO INTERNA por sua vez evoluiu como o método que traz equilíbrio entre interesses dos funcionários e da empresa. É um processo pelo uso do diálogo, troca de EXPERIÊNCIAS e INFORMAÇÕES que permite a participação de todos os níveis da organização. Então a COMUNICAÇÃO INTERNA abandona o antigo formato impresso e ganha dinâmica com auxílio do uso da tecnologia como facilitador.


Independe do porte da empresa a COMUNICAÇÃO é decisiva. Ainda assim podemos encontrar muitas organizações relutantes em fazer com que as INFORMAÇÕES e CONHECIMENTO estejam ao alcance de todos. Além da troca de INFORMAÇÕES e CONHECIMENTO a COMUNICAÇÃO INTERNA tem importância no esclarecimento, explicação e instruções para a execução das tarefas. Funcionários com orientações certas têm desempenho maior e motivação ao conhecer no que o seu trabalho contribui nos objetivos da organização.

É a forma mais inteligente para esclarecer aos colaboradores os motivos de certas decisões e motivar a participação ao ouvir opiniões, críticas e sugestões. Assim se valoriza o funcionário para que ele se sinta valorizado e participante dos resultados. A COMUNICAÇÃO INTERNA bem planejada integra, motiva informa.


“A informação é, sem dúvida, a maior arma de uma empresa para contribuir com a felicidade do público interno e consequentemente o alcance dos objetivos organizacionais”.

ANALISA DE MEDEIROS BRUM


AS DIVISÕES DA COMUNICAÇÃO INTERNA:

Pela complexidade do tema, diversos estudiosos fracionaram a COMUNICAÇÃO INTERNA para analisar com mais detalhes todas as suas alternativas:

1 – COMUNICAÇÃO ADMINISTRATIVA: transmite a todas as áreas as orientações de âmbito administrativo do dia a dia da empresa. A COMUNICAÇÃO ADMINISTRATIVA conduz e regula atividades dando sequencia aos processos e procedimentos. Estão nas normas, manuais, circulares e documentos internos.


O trabalho da COMUNICAÇÃO ADMINISTRATIVA é impositivo e se caracteriza por ser Hierarquizado, Legal, Normativo e Impessoal. Portanto, é descendente (de cima para baixo), orienta colaboradores sobre seus deveres (tarefas e amplitude), descreve um conjunto de regras, rotinas e diretrizes a serem obedecidas e é informativa.


A COMUNICAÇÃO ADMINISTRATIVA mal feita causa conflitos e é desmotivadora pela falta de normativas claras e de conhecimento geral.


2 – COMUNICAÇÃO FORMAL: segue a hierarquia da empresa respeitando sua administração, valores e objetivos dentro do ambiente organizacional.

O importante nesta é ter cuidado e preocupação dos interlocutores na transmissão dos dados ou das informações para que se obtenha o sucesso no processo.


A COMUNICAÇÃO FORMAL permite que as informações circulem seguindo o que é estabelecido pelo organograma da empresa. É caracterizada por dois sentidos: Descendente do topo para os níveis operacionais e Ascendente indo dos níveis operacionais para o topo da hierarquia.


3 – COMUNICAÇÃO INFORMAL: não segue a ordem determinada no organograma e não possui regra. Passa até mesmo por cima dos níveis da autoridade e é um processo não estruturado da informação.

Envolve todos os níveis da empresa e o assunto não se restringe, necessariamente, às questões de âmbito profissional. São trocas de informações entre as pessoas, sem formalidades, como uma conversa trivial durante o trabalho.


Porém, pode gerar situações perigosas como a boataria e críticas. O seu conteúdo é imprevisível, espontâneo abrangendo os mais variados níveis sem obedecer a nenhum tipo de planejamento. Também é conhecida como “RÁDIO PEÃO”.


4 – COMUNICAÇÃO INTERPESSOAL: sendo essencial dentro de uma organização é considerada como a forma de COMUNICAÇÃO mais completa e de maior efeito. Tem a capacidade de trocas de informações, é clara, precisa e concisa ao permitir “FEEDBACK” imediato entre o EMISSOR e o RECEPTOR.


5 – COMUNICAÇÃO HORIZONTAL: ou COMUNICAÇÃO LATERAL. É a COMUNICAÇÃO entre os participantes de um grupo de trabalho ou em outros departamentos, mas, com o mesmo nível de hierarquia.


6 – COMUNICAÇÃO ASCENDENTE: ocorre no sentido do subordinado para o superior com a finalidade de fornecer informações para a tomada de decisão. Faz uso de relatórios, planilhas, documentos diversos, contatos pessoais, reuniões, meios eletrônicos, etc. A sua finalidade é proporcionar FEEDBACK necessário aos diretores o sobre assuntos e problemas da organização.


Ao mesmo tempo é a fonte de informação para direção construir sua COMUNICAÇÃO DESCENDENTE. Permite aos colaboradores dos níveis inferiores compartilharem informações relevantes com os seus superiores estimulando a participação. Em organizações tradicionais, é uma COMUNICAÇÃO difícil devido a sua estrutura hierárquica ou pela sua CULTURA ORGANIZACIONAL que não permite um diálogo mais aberto.

7 – COMUNICAÇÃO DESCENDENTE: ocorre no sentido do superior para o subordinado. As informações percorrem o caminho vindo dos cargos mais altos da hierarquia em direção aos demais membros da organização (de cima para baixo). Envia várias ordens proporcionando aos integrantes da empresa diversas informações relacionadas com objetivos, metas e tarefas e orienta os colaboradores para que reconheçam os propósitos da organização.


SUGESTÃO DE LEITURA:

ESTRELLA CHARBELLY, BENEVIDES RICARDO. Por dentro da COMUNICAÇÃO INTERNA - tendências, reflexões e ferramentas. 1ª Edição. Editora CHAMPAGNAT, 2008.


DUTERME CLAUDE. A Comunicação Interna na Empresa. 1ª Edição. Editora Instituto PIAGET, 2008.


CURVELLO, JOÃO J. A. Comunicação Interna e Cultura Organizacional. Editora: Casa das Musas, 2012.


PIO DIRCEU M. A Força Transformadora da comunicação interna. 1ª Edição Editora SIMPLISSIMO, 2017.

6 visualizações
  • Google+ Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • LinkedIn Social Icon
  • Facebook Social Icon
ENTRE EM CONTATO
  • Grey Google+ Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey LinkedIn Icon
  • Grey Facebook Icon