2 – FORDISMO – FORD T


INTRODUÇÃO:

Em 1903 HENRY FORD nomeou seu primeiro produto como MODELO A e seguiu a sequência do alfabeto até a letra T. Foram 20 modelos, mas, nem todos entraram em produção. Os primeiros (A, B e C) eram montados em Detroit numa oficina de fabricação de vagões alugada, na MACK AVENUE.


A fabricação foi transferida para PIQUETTE AVENUE em 1904 onde foram montados os modelos E e F (1905), K e N (1906) e S e R (1907). Os automóveis eram produzidos em pequena quantidade (25 por dia em 1905) por funcionários divididos em grupos num trabalho realizado em um veículo por vez. Nesta época a maioria dos principais componentes era adquirida de outras empresas.

O FORD T:

No início de 1907, HENRY FORD teve a ideia de criar um novo modelo e solicitou o projeto a JOSEPH GALAMB e CHILDE HAROLD WILLS. A equipe reunida começou a trabalhar e iniciou o design do novo automóvel a ser lançado em 1908. O MODELO T deveria ser simples, confiável, robusto e barato.

Na visão de HENRY FORD para conseguir fabricar o “Carro para multidões” quanto maior e mais simples a produção, menor o custo, menor o preço e, portanto, o automóvel estaria à disposição de uma parcela de público cada vez maior.


Ao contrário dos seus concorrentes, o modelo deveria ser descomplicado a ponto de qualquer pessoa ser capaz de dirigir ou consertar sem precisar do motorista ou de um mecânico. O proprietário ainda teria à disposição um manual com perguntas e respostas explicando como usar ferramentas muito simples para solucionar “eventuais” problemas que pudessem ocorrer.

Os primeiros automóveis T foram construídos na PIQUETTE AVENUE ainda nos moldes artesanais de produção utilizados na época (manual) com componentes para motores e chassis da subcontratada DODGE BROTHERS. Mas, a grande diferença estava na sua produção padronizada.


Em Outubro de 1908 o primeiro exemplar foi vendido por apenas US$ 825 e no ano de 1909 a produção chegou a pouco mais de 10.000 unidades.

Como a procura pelo FORD T cresceu e foi um sucesso de vendas tão grande, teve início ainda no ano de 1908 o projeto da nova fábrica, bem maior, em HIGHLAND PARK, inaugurada em 1910.

O FORD T demorava aproximadamente 12 horas para ser montado que obrigou HENRY FORD a repensar o modo de se fabricar carros. Agora seria preciso criar uma forma para montar um carro após outro, sem parar...


A COR PRETA:

Diz a história que HENRY FORD teria afirmado: "O carro é disponível em qualquer cor, contanto que seja preto".

No início do Século XX quase todos os automóveis usavam a pintura em LACA JAPÃO (ou PRETO BRUNSWICK) por sua durabilidade, qualidade de acabamento e secagem em 48 horas. Como diferencial, de 1908 a 1913 o MODELO T não estava disponível em preto, mas nas cores cinza, verde, azul e vermelho.


O procedimento durou até a introdução da LINHA DE MONTAGEM que tornou a pintura um problema sério. Havia perda de tempo e atraso na produção para a secagem da tinta (a cura em até 14 dias).

Então, de 1914 a 1925 a cor preta foi padronizada por ter secagem mais rápida, durabilidade, baixo custo, sem necessidade de múltiplas demãos e sem prejudicar o andamento da produção. Em 1926 a DU PONT COMPANY desenvolveu uma linha de produtos de verniz para a indústria automotiva permitindo o reaparecimento das outras cores.

INOVAÇÕES:

Desde o início a FORD expandiu seus negócios rapidamente ao se instalar em outros países (fábricas ou oficinas os veículos eram montados). Com a produção seriada, padronizada e em grande escala na LINHA DE MONTAGEM o preço final dos automóveis caia ano após ano e sem concorrentes que significassem alguma ameaça.

HENRY FORD revolucionou e popularizou o conceito do automóvel, que se tornou acessível a todos conquistando o público americano e o público de outros países.

O T era popular e chamado carinhosamente pelo público por TIN LIZZIE (ou LEAPING LENA, JITNEY ou FLIVVER). Foi considerado como o primeiro automóvel disponível ao americano comum, representou uma inovação, um símbolo poderoso da classe média em ascensão e da modernização americana.


Em 1921 57% dos veículos que circulavam no mundo eram modelos FORD T.


A chave do sucesso era que ao invés de um operário ser o responsável por toda fabricação ele passava a ser especializado.


Executava só uma pequena tarefa sem sair do local: o trabalho era entregue no seu posto eliminando o movimento inútil.



O FORD T pode ser visto como um carro global, pois era encontrado em qualquer lugar do mundo.

● Era um veículo FLEX-FUEL projetado para operar com mais de um tipo de combustível, em geral gasolina misturada com etanol ou metanol ambos no mesmo tanque.


● O volante era do lado esquerdo (depois copiado pelos concorrentes).


● O T sempre foi prestigiado por ser confiável, de fácil manutenção e também um grande sucesso por sua adaptabilidade a qualquer tipo de terreno e situação.


Era capaz de enfrentar estrada de terra, lama, terreno rochoso, deserto, neve, travessia de pequenos riachos e ladeiras íngremes. Combinando precisão e continuidade a produção bateu níveis recordes até o final da sua produção (de 1 de outubro de 1908 a 26 de maio de 1927). As vendas somaram mais de 15.000.000 de unidades em 19 anos (metade de todos os automóveis existentes no mundo).


● Também transformou a tecnologia. Tinha diversas aplicações sobre a mesma plataforma podendo ser usado em várias versões (intencionalmente): caminhões pequenos, veículos agrícolas, viaturas de combate a incêndio, ambulância, PICK UP, etc.

Podia usar esquis substituindo rodas, podiam ser equipados com rodas de flange ​​como veículos ferroviários e havia empresas que vendiam kits para conversão em tratores, etc.

● O motor FORD no Modelo T era de 20 HP com quatro cilindros, duas marchas para frente e uma à ré, tração traseira e velocidade máxima entre 64 e 72 km/h. Depois da sua produção se encerrar em 1927 o motor continuou a ser produzido até 1941 para aplicações marítimas e outras finalidades.


● Durante a I Guerra Mundial o FORD T foi muito utilizado na frente de combate pelos britânicos, franceses e americanos como ambulância e transporte com um excelente desempenho.


● Em 1920 foi transformado em carro de combate pelo exército polonês na guerra Polaco-Soviética como FT-B (ou Ford Tf-c Modelo 1920).





● O carro sempre apresentava muitas inovações técnicas e inovações, uma característica típica de HENRY FORD dentro da sua ideia sistemática de reduzir custos.

● Quando o T foi criado estradas e ruas eram de terra, exceto em algumas grandes cidades. O desenvolvimento da indústria automobilística permitiu a mudança deste cenário na década de 20 com a criação de uma grande malha rodoviária asfaltada nos EUA.


● O Modelo T foi o responsável pela a inserção do automóvel na sociedade americana no início do século XX, mudou hábitos e em razão de sua incrível popularidade houve a expansão da rede de distribuição de combustíveis por todo o país.

Os automóveis práticos e acessíveis fabricados pela FORD mudaram a vida das pessoas. A linha de montagem e técnicas de fabricação em série estabeleceram os padrões do processo industrial a nível mundial na primeira metade do Século XX. O sistema de LINHA DE PRODUÇÃO passou a ser usado em outros tipos de produtos além da indústria automobilística.

Em 14 de junho de 1917 é produzido o 2.000.000º FORD T e em 4 de junho 1924 é produzido o 10.000.000º exemplar.


Em 1925 já havia sinais de que ele estava defasado em relação a um mercado em rápida expansão para automóveis. Os concorrentes estavam com design mais atraente se comparados ao produto FORD com aparência dos primeiro anos do século XX. Neste mesmo ano a GENERAL MOTORS COMPANY já possuía 2/3 do mercado que continuava a crescer com consumidores exigindo não só economia, mas também velocidade e estilo.


O FIM:

Para HENRY FORD o próprio MODELO T, seu design e mecânica foram criados para ser o que ele acreditava ser o carro que qualquer pessoa poderia precisar.

Mas, tudo evolui e o modelo foi perdendo participação de mercado lentamente. Meses após a cerimônia de apresentação do carro nº 15 milhões, HENRY FORD concluiu que era hora de dar lugar a uma nova geração de produtos.

Ainda tinha a ideia do T ser imutável e tentou manter sua produção enquanto reequipava as fábricas para lançar o MODELO A, o seu substituto, que embora tenha tido um razoável sucesso inicial, nem de longe se igualou ao seu antecessor. Em 26 de maio de 1927 HENRY FORD e seu filho EDSEL FORD encerraram produção do MODELO T foi depois de 19 anos de sucesso.



Na década de 20 a Ford fabricava um Modelo T em 98 minutos. Com a redução do tempo e do custo da produção o preço baixou de US$ 825 dólares para US$ 265 em outubro de 1924. À medida que o volume aumentava os preços caíam devido aos custos fixos serem distribuídos por um número maior de veículos. Em 1927 no fim de sua produção um Modelo T era produzido a cada 24 segundos.

No início do Século XX havia nos EUA diversas pequenas fábricas de automóveis que foram desaparecendo ou se fundindo quanto mais a FORD crescia. Elas não se modernizaram na sua forma de produção. Outras foram varridas pela CRISE DE 1929. Após a II Guerra Mundial os maiores perigos para a FORD eram a GM e a CHRYSLER. Outras marcas menores como AMERICAN MOTORS, STUDBAKER e NASH também desapareceram. Em 1928 a Ford mudou a montagem de automóveis para a USINA RIVER ROUGE, a maior fábrica integrada do mundo cuja construção começou em 1917.


Ford do Brasil foi fundada em 1919. A princípio importava o T e a partir de 1921 passou a montar os veículos em suas instalações na Rua Sólon, no bairro Bom Retiro (São Paulo).











O trabalho organizado e fracionado em partes já existia há algum tempo, mas o processo de linha de montagem amplamente aplicado por Henry Ford. Quando o último MODELO T saiu da LINHA DE MONTAGEM em 1927 ele deixou marcas profundas no perfil de uma era.

Aconteceram mudanças na forma de produzir, de trabalhar, de viver e de consumir que aceleraram o progresso. Mesmo com os trabalhadores executando tarefas repetitivas e pouco qualificadas que foram alvo da sátira do filme “TEMPOS MODERNOS” de CHARLES CHAPLIN.

Estas formas de trabalho criaram uma onda consumista e a grande prosperidade americana da década de 20 (o AMERICAN WAY OF LIFE que aos poucos se espalharia por todo o mundo). Após a I Guerra Mundial os EUA haviam se tornado uma das maiores potências do mundo. O progresso científico e industrial causaram uma grande transformação na sociedade norte-americana pela ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA de FREDERICK TAYLOR e a LINHA DE MONTAGEM de HENRY FORD.



21 visualizações
  • Google+ Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • LinkedIn Social Icon
  • Facebook Social Icon
ENTRE EM CONTATO
  • Grey Google+ Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey LinkedIn Icon
  • Grey Facebook Icon